A Enel, empresa responsável pelo fornecimento de energia elétrica em Goiás, divulgou recentemente que, a partir do dia 5 de agosto, as suas faturas não poderão mais ser pagas em agências da Caixa Econômica Federal e casas lotéricas. Durante uma reunião com a Secretaria Municipal de Defesa do Consumidor (Procon/Anápolis), os representantes da empresa informaram que o valor cobrado pela instituição financeira por cada boleto recebido era alto e por isso essa medida foi tomada. Confira a lista dos novos pontos de pagamento das contas de energia.

O secretário responsável pela pasta, Robson Torres, afirmou que acompanhará todas as mudanças a fim de assegurar os direitos dos consumidores anapolinos. Na ocasião, o secretário afirmou que o Executivo e a Enel devem ser parceiros ao longo destas mudanças.

De acordo com a Enel, a população não será prejudicada, uma vez que, no novo sistema de pagamento, os pontos de recebimento foram ampliados, pois poderão ser pagas em supermercados, padarias, lojas de conveniência, comércios, agências bancárias e até autopeças. A expectativa é que haja uma dinamização do serviço de recebimento das contas de energia.

Durante a reunião, os representantes da empresa afirmaram que a população ainda não compreendeu o benefício da mudança, já que são mais de 65 postos de pagamento e existe pouco mais de 20 agências lotéricas a disposição dos anapolinos.

Robson ressaltou que os estabelecimentos responsáveis pelo recebimento das contas de energia devem informar claramente à população que, somente pela indicação do CPF ou da Unidade Consumidora (UC), é possível pagar a conta de energia. Vale destacar que a segunda via da fatura é tributada (R$ 2,80), mas é possível obtê-la, sem qualquer cobrança, no site da Enel (www.eneldistribuicao.com.br).

Reclamações

A reunião também foi uma oportunidade dos representantes da Enel estarem a par das reclamações que chegam ao Procon com relação à empresa. O gerente de atendimento, Ariovaldo Pires Batista, e a representante do departamento jurídico do Procon, Marielly Inácio do Nascimento, mostraram algumas questões pontuais à equipe da distribuidora de energia.

O secretário disse que acompanhará todas as cobranças da Enel, inclusive relativas à religação a revelia, uma vez que o Procon tem recebido inúmeras reclamações dos consumidores anapolinos, que informam que não realizam tal irregularidade, sendo assim indevida e injusta a cobrança por parte da distribuidora.

O representante da Enel, Edinilton Bernardo, que trabalha no setor de Ouvidoria, afirmou que todas as cobranças efetuadas são pautadas em provas comprobatórias de tal religação, sendo, inclusive, uma obrigação estabelecida pela própria agência reguladora em âmbito nacional.

Robson ainda questionou a equipe sobre os procedimentos e a agilidade da empresa para a reparação dos danos sofridos pelos consumidores quanto as quedas de energia, que muitas vezes gera a queima de equipamentos eletrônicos.  O representante da empresa informou que a Enel tem arcado com todos os custos, cabendo ao consumidor providenciar o correto requerimento junto a empresa, ao preencher os formulários, fazer os orçamentos, e principalmente anotar o horário exato da ocorrência.  De acordo com a empresa, a hora é o principal fator para a restituição desses valores.