Disposto a liderar a bancada goiana na Câmara dos Deputados, o União Brasil, partido que será formado em fevereiro como efeito da fusão entre Democratas (DEM) e o Partido Social Liberal (PSL), pretende eleger entre sete e 13 deputados nas eleições do dia 02 de outubro. Esses números representam, respectivamente, 41% e 76,5% do total de cadeiras que Goiás terá no parlamento federal na próxima legislatura. Maior partido do país, com 82 parlamentares, oito senadores, quatro governadores e 545 prefeituras, o União pode ser também o maior do Estado. Ao menos esse é o objetivo, segundo o deputado federal Delegado Waldir (PSL), um dos principais articuladores da formação do partido em Goiás.

“A meta é ter não apenas a maior bancada aqui em Goiás, mas em vários Estados do país. Não é à toa que hoje onde o União Brasil não tem candidato a governador, nós estamos fazendo aliança com aqueles que têm maiores chances de se elegerem. Com isso a gente consegue uma excelente chapa de deputados federais”, diz ao Jornal Opção. Em Goiás, a chapa de excelência que o partido persegue deve incluir nomes como o titular da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), Pedro Sales (sem partido); o secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino; o secretário da Segurança Pública Rodney Miranda; três dos nomes mais fortes do governo Ronaldo Caiado (DEM); além do promotor de justiça Marcos Rios; o ex-conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) Nilo Resende;

A lista de possíveis candidatos pelo União Brasil goiano, conforme antecipou o Opção, também inclui os já deputados federais Glaustin da Fokus (PSC), José Mário Schreiner (DEM), José Nelto (Podemos) e Zacharias Calil (DEM); o integrante da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSB); e o vereador Sandes Júnior (PP). Pela regras eleitorais deste ano, o União Brasil terá 18 candidatos à Câmara dos Deputados, em Brasília. “Estamos dialogando com vários nomes. O União Brasil tem interesse em montar uma chapa muito forte. A gente entende que poucos partidos conseguirão montar chapas competitivas. Em razão da nossa estrutura, com certeza iremos buscar os melhores nomes”, acrescenta Delegado Waldir, que preferiu não antecipar os nomes que devem disputar pelo partido e nem confirmar as possibilidades levantadas pelo jornal.

O número de parlamentares perseguido pelo União Brasil já foi conquistado em Goiás na gestão do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Considerando a base de apoio ao governo à época, formada por diferentes partidos, 13 dos 17 deputados compunham com aquela gestão. A diferença é que o União Brasil trabalha para que esses 13 deputados federais sejam filiados a ele. “O União Brasil vem com um espetacular tempo de TV e também com fundos eleitoral e partidário muito fortes. Então, com certeza, isso irá atrair um grande número de deputados federais e estaduais, de candidatos ao governo e ao Senado pelo nosso partido. Esse é um cenário muito claro”, finaliza Waldir, que nestas eleições é pré-candidato ao Senado Federal.