História

Nós, anapolinos, temos orgulho de nossa cidade e, é claro, da nossa história. Desde o surgimento aos dias atuais, Anápolis recebe com alegria seus “filhos” e aqueles que chegam ao município em busca de oportunidades. Tudo começou no século XVIII com a vinda de tropeiros de diferentes províncias em direção às lavras de ouro de Meia Ponte (Pirenópolis), Corumbá de Goiás, Santa Cruz, Bonfim (Silvânia) e Vila Boa (Cidade de Goiás). Os principais cursos de água que cortam Anápolis – João Cezário, Góis e Antas – tinham dupla importância no translado desses garimpeiros, pois serviam como moradia e referência para as pessoas da época.

Em 25 de abril de 1870 surgiu o primeiro documento oficial sobre o município quando Pedro Roiz dos Santos, Inácio José de Souza, Camilo Mendes de Morais, Manoel Roiz dos Santos e Joaquim Rodrigues dos Santos doaram parte de suas terras, que posteriormente foram nomeadas como Patrimônio de Nossa Senhora de Santana.

A imagem da santa padroeira de Anápolis, que segundo relatos pertenceu a Ana das Dores, mãe de Gomes de Souza Ramos, esteve por anos preservada em Pirenópolis (GO). Hoje é guardada na Matriz de Santana, região central do município. A imagem remonta há 142 anos e os católicos da cidade dedicam devoção especial à padroeira, anualmente homenageada em grande festa na praça que leva seu nome.

Fundador

Gomes de Sousa Ramos nasceu em 17 de setembro de 1837, em Arraias. Aos 33 anos mudou-se de Bonfim para a Freguesia de Santana das Antas (1870), atraído pela fertilidade da terra e o clima. Um ano depois, iniciou a construção da capela. Mediante seus esforços e de Zeca Batista, os dois chefes políticos elevaram o povoado à categoria de Vila em 1887. No entanto, devido a fatos de abrangência nacional, esta só viria a ser instalada cinco anos mais tarde.

Gomes de Sousa Ramos adoeceu em junho de 1889, falecendo em 22 de setembro deste ano, deixando viúva a esposa Messias Gomes Pereira e seus seis filhos: Maria, Sebastião, Gomes, Benedito, Francisco, Manuel e Ana.

José da Silva Batista

Nascido em 1º de setembro de 1856, Zeca Batista está intimamente relacionado à história de Anápolis, para onde veio trabalhar como professor em 1882. Com a falta de médicos e farmacêuticos ele também exerceu tais atividades, além de atuar no comércio. Em 1907, construiu a casa que hoje abriga o Museu Histórico de Anápolis. Vários acontecimentos se deram nesse período em nível nacional como a abolição da escravatura e a proclamação da república e, em nosso município, o falecimento de Gomes de Sousa Ramos (1889). Zeca desfrutou em Anápolis e Goiás de grande prestígio. Faleceu em 7 de dezembro de 1910.

Gestão atual

Anápolis hoje é administrada pelo prefeito, Roberto Naves e Siqueira, nascido no dia 26 de janeiro de 1978 em Porangatu (GO), norte de Goiás, onde viveu por toda sua infância. Em 1995, se mudou para Goiânia para terminar o ensino médio e cursar Farmácia e Bioquímica pelo Instituto Unificado de Estudo Superior Objetivo (IUESO).

Começou sua carreira bem jovem. Já no primeiro ano de faculdade, foi pra sala de aula, onde atuou como professor de química em uma escola da rede estadual de ensino. Depois de um ano, ingressou em colégios particulares, onde a partir daí iniciou-se seu vínculo com Anápolis. Co-fundador do Colégio Órion, em 2002, Roberto se mudou para Anápolis e devido à morte do pai – grande apoiador do futuro profissional e empresarial do filho – em 2004 trouxe sua família para morar na cidade.

Casado desde 2005 com a Vivian Albernaz, é pai de quatro filhas Giovana, Mariana, Luciana e Carolina. Em 2016, Roberto se candidatou a prefeito de Anápolis concorrendo com políticos experientes e bem mais conhecidos na cidade. Durante a campanha investiu trouxe a ideia do novo, da mudança. Mesmo nunca tendo sido candidato a nada, no dia 2 de outubro conquistou a maior vitória de sua vida se elegendo, com a voto de confiança de milhares de anapolinos e anapolinas, prefeito de Anápolis pelos próximos quatro anos.

Foto Oficial 

 

Fonte: Viva Anápolis com www.anapolis.go.gov.br .